30.3 C
Berlim
quinta-feira, 6 agosto 2020

Brasileiros no exterior, a saudade de casa e a tirania da família no Brasil

Sobre quem sai do país e é tiranizado pela família no Brasil, ao invés de receber carinho e respeito.

- Publicidade -
- Publicidade -

Sobre quem sai do país, sente saudade de casa e é tiranizado pela família no Brasil, ao invés de receber carinho e respeito.

Já escrevi (aqui) sobre uma brasileira que vive em Berlim, uma mulher que trabalha duro fazendo faxinas para manter a si e à filha.

Essa mulher estava disposta a se endividar, tomando um empréstimo altíssimo para que seu irmão, no Brasil, pudesse comprar um carro.

Dei-lhe o conselho de não fazer isso, pedi que ela pensasse em primeiro lugar em si mesma e no futuro da filha e que não se endividasse para satisfazer um desejo de um irmão adulto, que tem condições de caminhar com as próprias pernas, ganhar seu próprio dinheiro e comprar então o que quiser. Se ele queria um carro e não podia comprar, isso era problema dele e não dela, mesmo porque ela também não tinha esse dinheiro.

Ela se ousou e negou o pedido

Pois bem, fiquei feliz ao saber que ela seguiu esse conselho, não tomou empréstimo algum e viajou para o Brasil sem levar os 15 mil euros que o irmão havia pedido.

A vingança da família: ela pagou um preço alto

- Publicidade -

Fiquei triste ao vê-la após seu retorno, pois a coitada se sentia arrasada. Ela disse não a um pedido absurdo do irmão, mas pagou por isso um preço muito alto, que foi se sentir rejeitada pela família e castigada da pior forma que uma família pode castigar: negando amor e carinho!

Essa dor dói mais quando vem dos pais

Segundo ela, o que mais doeu foi o comportamento da mãe, que já esteve em Berlim, que conheceu sua labuta, que viu de perto o quanto ela tinha que trabalhar, que sabia muito bem que a filha não era rica.

Durante toda sua estadia no Brasil, a mãe fez cara feia, dando-lhe indiretas, acusando-a de ser egoísta por viver na Europa, mas não ajudar o irmão a comprar o carro que ele tanto queria.

O smartphone do sobrinho e a briga com o irmão

Já outra brasileira me contou uma história igualmente triste, desta vez sobre um sobrinho que lhe pedira para trazer um celular. E ela comprou um smartphone de última geração e levou para o sobrinho, além de inúmeros outros presentes para o resto da família, tudo isso comprado com sacrifício, já que ela estava desempregada e dependia do marido alemão, que não ganhava muito.

Pois bem, alguns dias após a chegada e a distribuição dos presentes, ao visitar o irmão e sua família, ela se viu numa situação embaraçosa, pois precisava falar com urgência com alguém, mas o próprio celular não funcionava. Na maior ingenuidade, ela se dirigiu ao sobrinho, pedindo-lhe para lhe emprestar seu telefone (o smartphone que ela havia trazido) para fazer esse telefonema importante.

Para sua surpresa, o rapaz se negou, disse-lhe que o telefone era dele e que não iria emprestar coisa nenhuma, em tom áspero e sem o mínimo respeito. Ela se chateou, brigou com o sobrinho e exigiu que ele lhe emprestasse o aparelho que ela mesma havia trazido, frisando que só precisava por alguns minutos. Nesse momento, a surpresa foi ainda maior, pois o irmão dela chegou à sala, deu razão ao filho e a colocou para fora, acusando-a de arrogância só por morar no exterior e dizendo-lhe que só voltasse à sua casa quando aprendesse a respeitar sua família.

Novamente os pais

Ela chegou chorando à casa dos pais e foi novamente surpreendida ao escutar deles que o irmão estava certo e que ela deveria se desculpar. Por negar-se a fazer isso, ela passou o restante das férias no Brasil em um clima ruim, sem que ninguém da família conversasse direito com ela, sendo praticamente ignorada.

Não são casos isolados

Conheço tantos exemplos de tirania de famílias de expatriados que poderia passar dias escrevendo. São muitas histórias de parentes que maltratam os que saem do país quando eles se negam a continuar assumindo o papel do “emigrante rico”, que tem a obrigação de dar presentes e ajudar a todos financeiramente sem nunca reclamar.

Sei de casos de quem ajudou durante anos, mandando dinheiro para o Brasil, levando presentes, pagando contas e até mesmo sacrificando as férias e o descanso para resolver problemas pendentes, pegando filas, resolvendo coisas de tudo quanto é tipo e até mesmo abrindo negócios para parentes e financiando e coordenando obras ou reformas na casa de alguém, às vezes sem nem mesmo escutar um ‘muito obrigado’.

Muitas vezes, a questão não é (somente) de dinheiro. Os parentes acham que a pessoas vêm de férias para ficarem ouvindo lamentações o tempo todo, algumas até bizarras, como quem reclama de não poder pagar as contas, mas não deixa de tomar muita (!) cerveja nos finais de semana ou não perde uma praia nos domingos, ao invés de procurar um bico para ganhar um pouco mais.

Um não é muitas vezes castigado com rejeição

Mas quando então uma pessoa que vive no exterior, já cansada de trabalhar tanto para ajudar a família, um dia corta essa ajuda, por não poder ou não querer mais, pode acontecer dela ser rejeitada, chamada de egoísta e escutando até parentes dizendo que ela é uma pessoa tão ruim que, apesar de “nadar em dinheiro”, nunca ajudara a família, anulando praticamente tudo que a pessoa fizera até então.

Até doença grave se inventa

Sei até de casos onde se inventa uma “doença grave” na família só para arrancar dinheiro do expatriado. Recordo-me de um brasileiro que me contou que sua família pediu-lhe três mil reais para pagar uma operação URGENTE do sobrinho, que havia caído e quebrado um braço. A operação até que foi real, mas os custos já tinham sido cobertos pelo plano de saúde, sendo necessário pagar somente 200 reais do próprio bolso. A falta de vergonha é tão grande que até um suposto câncer é usado para extorquir quem está longe. E isso sem falar daqueles que foram de férias ao Brasil e terminaram sendo roubados dentro de casa pelos próprios parentes.

Saudade de casa e decepção com a família

Isso parece afetar muitos expatriados, não devendo ser subestimado, pois causa um profundo sofrimento em quem vive longe de sua terra natal, onde muitas vezes se sente só, desejando fortemente a proximidade e o amor da família, mas recebendo cobranças, pedidos e acusações, sempre que tentam ter um mínimo daquilo que qualquer pessoa deveria poder esperar de seus familiares: carinho e respeito.

Há expatriados que têm sorte, com uma família que apoia, que escreve ou liga regularmente para saber como estão, que “troca figurinhas” em redes sociais, que realmente se interessa por sua vida e que manda, apesar da grande distância, muito carinho e conforto.

Já outros se veem constantemente confrontados com cartas, chamadas telefônicas, mensagens e e-mails de parentes que querem somente reclamar da vida e pedir algo. Enquanto alguns sabem o que é ser amado pelos seus, outros recebem somente uma forte tirania. Alguns são recebidos de braços abertos e com abraços apertados, enquanto outros se veem obrigados a “comprar” o carinho da família com malas pesadas e presentes caros, pois, caso contrário, sentem rapidamente na própria pele a crueldade dos parentes.

Família é família

Quem sai do país nem percebe logo essa dinâmica, acredita ingenuamente no conceito de solidariedade, na união e no amor de sua família e termina apoiando tal postura através de sacrifícios feitos para ajudar ou agradar os que ficaram.

A pessoa se sente obrigada a isso, nem cogita um comportamento diferente, já que família é família e tem que ser ajudada. Deixar de fazer isso significaria ter consciência pesada e sentir-se mal, já que alguém que não apoia a própria família seria uma “pessoa ruim”.

Essa pessoa é então sugada literalmente por parentes e pode precisar de anos (ou mesmo de uma vida inteira) para perceber o que se passa realmente e que ela, apesar de ter saído de casa, indo viver milhares de quilômetros de distância, nunca se livrou do cabresto que recebeu de sua família e termina vivendo longe, mas presa de uma forma tirana por aqueles que nunca tiveram a mesma coragem e lá ficaram.

Com o passar dos anos, quando se percebe que, no fundo, é tratado com indiferença, com os familiares mais preocupados com presentes do que com sua pessoa, esse alguém se decepciona, sente-se triste e cansado e tenta reverter a situação, mas percebe rapidamente que isso não é tão fácil assim. O emigrante protesta, mas é severamente punido, sendo acusado, insultado e caluniado ou mais que isso: ele simplesmente passa a ser ignorado, que é o pior de tudo.

Liberte-se dessa tirania

Brasileiros no exterior, a saudade de casa e a tirania da família no Brasil

Caso você se encontre em uma situação assim, o que poderia lhe ajudar seria a coragem de ver as coisas como são, por mais que isso doa, e compreender que laço sanguíneo nem sempre é sinônimo de carinho e respeito e que parentes não são necessariamente família.

Sim, olhe as coisas como são e talvez você reconheça que um ou outro parente gosta realmente de você e lhe respeita e que talvez existam outras pessoas que não têm o mesmo sangue seu, mas que são muito mais sua família do que seus parentes.

Não gaste seu tempo e sua energia querendo convencer ninguém de que ele está errado, de que não está certo ele lhe tratar como lhe trata. Isso só lhe prenderá ainda mais. Você vai tentar ter razão para aliviar sua consciência, mas quanto mais você tentar, mas pesada ela ficará, já que as acusações e a apelação da família ficarão cada vez mais absurdas.

Eu sei que a situação é injusta, mas entre justiça e equilíbrio, é melhor escolher o equilíbrio. Centre-se, faça as pazes consigo mesmo, perdoe os parentes que lhe tratam de forma injusta, mas liberte-se de qualquer consciência pesada e mantenha uma distância saudável de pessoas assim.

Parente a gente não escolhe, família sim

Parente a gente não escolhe, seus parentes continuarão seus parentes, deixe as portas abertas, mas peça para as pessoas baterem antes de entrar, lhe respeitando como ser humano e lhe enxergando como alguém que tem uma vida própria e que gostaria que o princípio de solidariedade valesse para todo mundo e que você também tem suas carências e necessidades.

Deixe claro que você está disposto a partilhar, mas que partilha só faz sentido quando todo mundo participa.

Família é o lugar onde deveríamos encontrar aconchego, amor, compreensão, carinho, com ou sem dinheiro, com ou sem presente, na verdade sem condição alguma.

Se você não tem a sorte de ter uma família unida, carinhosa, amiga, permita sua tristeza, sim, pois isso dói, mas fique aberto para as alegrias que outras pessoas lhe dão. Se sua família lhe dá o sentimento de se estar só, então encontre sua família verdadeira: aquelas pessoas que realmente amam você, lhe respeitam e querem o seu bem. O resto é melhor esquecer.

 

- Advertisement -
Avatar
Gustl Rosenkranzhttps://gustl-rosenkranz.de/
Blogueiro brasileiro residente em Berlim

Must Read

O coronavírus, os turcos e a água de colônia

Enquanto os alemães, no auge do pânico por causa do coronavírus, guardavam papel higiênico, os franceses vinho e preservativos e os americanos armas e comprimidos, os turcos resolveram estocar água de colônia.

O registro de moradia (Anmeldung) na Alemanha

O registro de moradia (Anmeldung) é Um dos primeiros passos a serem dados ao chegar na Alemanha.

Prédio que transforma chuva em música vira atração na Alemanha

Tempo chuvoso muitas vezes é deprimente, mas não no complexo Neustadt-Kunsthofpassage, em Dresden, na Alemanha, onde um prédio transforma chuva em música.

Volkswagen esconderá nome de arena durante convenção de partido extremista

Por iniciativa do líder do Comitê de Trabalhadores da empresa, a Volkswagen irá cobrir o nome da arena Volkswagen em Braunschweig, durante a realização da convenção do partido de extrema-direita AfD (Alternative für Deutschland)

173 COMENTÁRIOS

  1. Há 2 anos retornei ao Brasil, após 1 ano fora e além de uma mala de presentes queria receber carinho e atenção. Com uma semana em casa já queria voltar, mas por questões de saúde da minha mãe não tive coragem de retornar. Ouvi de uma irmã se realmente eu me importasse com minha mãe eu não teria ficado tanto tempo longe! Só quem passa sabe o quanto dói tudo isso.

    • Não perca teu tempo, Luciano! Delete tudo isto que tua irmã te disse! Você é quem sabe da tua vida e, portanto, é você mesmo quem determina a importância que tua mãe tem pra você… e não a tua irmã!! Te entendo, completamente!

  2. Há 2 anos retornei ao Brasil, após 1 ano fora e além de uma mala de presentes queria receber carinho e atenção. Com uma semana em casa já queria voltar, mas por questões de saúde da minha mãe não tive coragem de retornar. Ouvi de uma irmã se realmente eu me importasse com minha mãe eu não teria ficado tanto tempo longe! Só quem passa sabe o quanto dói tudo isso.

    • Não perca teu tempo, Luciano! Delete tudo isto que tua irmã te disse! Você é quem sabe da tua vida e, portanto, é você mesmo quem determina a importância que tua mãe tem pra você… e não a tua irmã!! Te entendo, completamente!

  3. Parabens pelo texto! De uma forma ou de outra ,eu vivo , esse drama , por morar no exterior…pago muito caro por isso , nao em moedas, ( porque nao as tenho).mas em indiferenças , descasos, falta de amor, abandono…nao tem uma vez que eu va ao Brasil, e que eu nao chore, e volte para europa, numa profunda tristeza.

  4. Parabens pelo texto! De uma forma ou de outra ,eu vivo , esse drama , por morar no exterior…pago muito caro por isso , nao em moedas, ( porque nao as tenho).mas em indiferenças , descasos, falta de amor, abandono…nao tem uma vez que eu va ao Brasil, e que eu nao chore, e volte para europa, numa profunda tristeza.

  5. Acho q isso e muito comum entre os brasileiros q moram fora, eu msm sofro com isso e sempre me magoo quando vou ao brasil, por isso vou muito pouco pra la, pq toda vez q vou choro, pq tudo e dinheiro, me ajuda a pagat minha conta, vem passa o natal comigo, mas tem q ajudar na ceia e da presente pra fulano pq to sem dinheiro, os presentes q vc leva ja nao e suficiente, tem q dar dinheiro pra tudo, ate msm para ter carinho e a compania destes, se nao tem dinheiro vc e ruim e egoesta mas ninguem quer ver seu sacrificio , se vc andou precisando de algo, se tava doente, se ta empregado, se eu paguei meu aluguel ou se recebi meu salario em dia. Ate meu marido ficou chocado como a minha familia ficava tentando tirar dinheiro de mim pra tudo.

  6. Acho q isso e muito comum entre os brasileiros q moram fora, eu msm sofro com isso e sempre me magoo quando vou ao brasil, por isso vou muito pouco pra la, pq toda vez q vou choro, pq tudo e dinheiro, me ajuda a pagat minha conta, vem passa o natal comigo, mas tem q ajudar na ceia e da presente pra fulano pq to sem dinheiro, os presentes q vc leva ja nao e suficiente, tem q dar dinheiro pra tudo, ate msm para ter carinho e a compania destes, se nao tem dinheiro vc e ruim e egoesta mas ninguem quer ver seu sacrificio , se vc andou precisando de algo, se tava doente, se ta empregado, se eu paguei meu aluguel ou se recebi meu salario em dia. Ate meu marido ficou chocado como a minha familia ficava tentando tirar dinheiro de mim pra tudo.

  7. Vim ao Brasil depois de 6 anos fora e meus irmãos me trataram muito bem ainda nem me deixaram gastar dinheiro,sempre que eu queria pagar alguma coisa eles diziam:
    – Deixa que eu pago.
    Foi muito bom estar com eles!!

  8. Vim ao Brasil depois de 6 anos fora e meus irmãos me trataram muito bem ainda nem me deixaram gastar dinheiro,sempre que eu queria pagar alguma coisa eles diziam:
    – Deixa que eu pago.
    Foi muito bom estar com eles!!

    • Por isso que quase não tenho amigos aqui, não cheguei ostentando nem trouxe presentes, mostrei logo que não vim carregada de euros e amigos…família
      … Conto nos dedos!

  9. Muito bom o Texto.
    Porém muitas dessas situações acima descritas é culpa Do próprio imigrante…
    Muitas chegam no Brasil modtrando o que ñ são e levam malas e malas de presente ano após ano…
    Um dia ñ dar mais para sustentar esse me dar, ne dar ….
    Vivo à 25 na Alemanha, só presenteava as crianças.
    E geaças à Deus sempre tive muito carinho e atenção até na hora da conta, tinha que insistir para pagar o nosso consumo.
    Fica a dica. Ñ ostente o que vc ñ é !

    • Por isso que quase não tenho amigos aqui, não cheguei ostentando nem trouxe presentes, mostrei logo que não vim carregada de euros e amigos…família
      … Conto nos dedos!

  10. Muito bom o Texto.
    Porém muitas dessas situações acima descritas é culpa Do próprio imigrante…
    Muitas chegam no Brasil modtrando o que ñ são e levam malas e malas de presente ano após ano…
    Um dia ñ dar mais para sustentar esse me dar, ne dar ….
    Vivo à 25 na Alemanha, só presenteava as crianças.
    E geaças à Deus sempre tive muito carinho e atenção até na hora da conta, tinha que insistir para pagar o nosso consumo.
    Fica a dica. Ñ ostente o que vc ñ é !

  11. É maicon, voce é uma excessao… Minha familia sugou meu sangue por 16 anos quando estava na europa agora que voltei pro Brasil pra refazer minha vida depois da morte de minha mae, eles queriam que eu continuasse ajudando, como nao fiz por falta de condiçao e por cansaço de ser explorada, tenho sido humilhada, maltratada e excluida por quase todos. Menos mal que tenho minha casa e nao preciso depender deles, caso contrario eu tava lenhada.

  12. É maicon, voce é uma excessao… Minha familia sugou meu sangue por 16 anos quando estava na europa agora que voltei pro Brasil pra refazer minha vida depois da morte de minha mae, eles queriam que eu continuasse ajudando, como nao fiz por falta de condiçao e por cansaço de ser explorada, tenho sido humilhada, maltratada e excluida por quase todos. Menos mal que tenho minha casa e nao preciso depender deles, caso contrario eu tava lenhada.

  13. Eu mandei dinheiro e ajudei minha propria mae e pai por 7 anos. Quando fui pela primeira vez a minha mae nao quis me dar o meu proprio dinheiro que estava na conta dela que era meu. Eu tive que me virar com meus cartoes de creditos e ate que consegui um dinheiro emprestado pra depois mandar pois em cidades do interior nao tem lugar pra si trocar dolares. E agora ja em 2015 eu dei o green card pra minha mae. Ela veio aos Estados Unidos pela primeira vez e nao teve si quer a coragem de me avisar que viria, veio e ficou com a minha irma,… me ligou depois de 10 dias que ja estava aqui pra apenas manter as aparencias pros parentes e visinhos no Brazil. Infelizmente as pessoas sao ingratas e mesquinhas.. Nunca imaginei isso de um ser humano que e meu sangue.. Passei minha juventude ralando e minha mae nunca teve coragem de reconher meu esforco e qualquer conquista. Mas hoje escolho melhor as pessoas a minha volta… Demorei 15 anos pra fazer isso…

  14. Eu mandei dinheiro e ajudei minha propria mae e pai por 7 anos. Quando fui pela primeira vez a minha mae nao quis me dar o meu proprio dinheiro que estava na conta dela que era meu. Eu tive que me virar com meus cartoes de creditos e ate que consegui um dinheiro emprestado pra depois mandar pois em cidades do interior nao tem lugar pra si trocar dolares. E agora ja em 2015 eu dei o green card pra minha mae. Ela veio aos Estados Unidos pela primeira vez e nao teve si quer a coragem de me avisar que viria, veio e ficou com a minha irma,… me ligou depois de 10 dias que ja estava aqui pra apenas manter as aparencias pros parentes e visinhos no Brazil. Infelizmente as pessoas sao ingratas e mesquinhas.. Nunca imaginei isso de um ser humano que e meu sangue.. Passei minha juventude ralando e minha mae nunca teve coragem de reconher meu esforco e qualquer conquista. Mas hoje escolho melhor as pessoas a minha volta… Demorei 15 anos pra fazer isso…

  15. E dificil nao ter um imigrante que nao passou por esse tipo de problema! O texto toca na ferida feita ao longo dos anos que ficamos longe da familia! E cada ano que passa,so aumenta a nossa dor! Nao precisa ir de ferias ao nosso pais de origem,para ser cobrado com chantagens emocionais e financeira de pessoas que mais amamos nesse mundo! Esse texto foi o melhor choque de realidade que ja vi. Passou um filme na minha cabeca ao ler. “AS MAIORES DECEPCOES VEM DE QUEM MAIS AMAMOS.”

  16. E dificil nao ter um imigrante que nao passou por esse tipo de problema! O texto toca na ferida feita ao longo dos anos que ficamos longe da familia! E cada ano que passa,so aumenta a nossa dor! Nao precisa ir de ferias ao nosso pais de origem,para ser cobrado com chantagens emocionais e financeira de pessoas que mais amamos nesse mundo! Esse texto foi o melhor choque de realidade que ja vi. Passou um filme na minha cabeca ao ler. “AS MAIORES DECEPCOES VEM DE QUEM MAIS AMAMOS.”

  17. E dificil nao ter um imigrante que nao passou por esse tipo de problema! O texto toca na ferida feita ao longo dos anos que ficamos longe da familia! E cada ano que passa,so aumenta a nossa dor! Nao precisa ir de ferias ao nosso pais de origem,para ser cobrado com chantagens emocionais e financeira de pessoas que mais amamos nesse mundo! Esse texto foi o melhor choque de realidade que ja vi. Passou um filme na minha cabeca ao ler. “AS MAIORES DECEPCOES VEM DE QUEM MAIS AMAMOS.”

  18. Olá Gustl!
    Acabei de descobrir seu blog e não consigo parar de ler! Morei fora por 3 anos, retornei há 1 ano e meio e ainda sinto na pele essa cobrança.
    Depois de 1 ano e meio no Brasil, muito trabalho e economia, eu consegui me organizar e voltar para a cidade onde eu vivi para rever meus amigos e namorado (ele vem me ver com mais frequencia do que eu vou), ao saber da minha viagem meu irmão fez uma lista de lugares onde eu tinha que ir para fazer compras pra ele (ele me daria o dinheiro, ok), mas ele ficou muito chateado quando disse que não estava indo para fazer compras e sim visitar meus amigos e namorado e que se eu tivesse tempo e condições, compraria as coisas para ele, mas que não poderia garantir isso.
    Mesmo assim ele me deu dinheiro e uma lista enorme (eu estava levando uma mala extra de 32 kg para trazer as coisas dele), ele se dispôs a me levar até o aeroporto e, no caminho, começou a fazer diversas perguntas. Quando eu repeti que não poderia garantir a compra de todas as encomendas, ele surtou, me chamou de mesquinha e egoísta (entre outras coisa que não tenho coragem de repetir), pegou o dinheiro que ele tinha me dado para comprar as coisas dele e quase me deixou no meio do caminho e, claro, não foi me buscar no retorno (era parte do combinado).
    A família toda ficou do lado dele, minha mãe ficou insistindo por toda a minha viagem para eu trazer as coisas para ele, uma prima me deu ordens expressas para eu trazer as coisas dele. Eu não trouxe e dois meses depois ainda sou vista como alguém que não se importa com os outros.
    Pra minha sorte eu já havia aprendido que não conquisto o amor e respeito das pessoas com presentes e por isso não trouxe nada do que ele me pediu e desde aquele dia ainda não nos encontramos ou nos falamos.

  19. Olá Gustl!
    Acabei de descobrir seu blog e não consigo parar de ler! Morei fora por 3 anos, retornei há 1 ano e meio e ainda sinto na pele essa cobrança.
    Depois de 1 ano e meio no Brasil, muito trabalho e economia, eu consegui me organizar e voltar para a cidade onde eu vivi para rever meus amigos e namorado (ele vem me ver com mais frequencia do que eu vou), ao saber da minha viagem meu irmão fez uma lista de lugares onde eu tinha que ir para fazer compras pra ele (ele me daria o dinheiro, ok), mas ele ficou muito chateado quando disse que não estava indo para fazer compras e sim visitar meus amigos e namorado e que se eu tivesse tempo e condições, compraria as coisas para ele, mas que não poderia garantir isso.
    Mesmo assim ele me deu dinheiro e uma lista enorme (eu estava levando uma mala extra de 32 kg para trazer as coisas dele), ele se dispôs a me levar até o aeroporto e, no caminho, começou a fazer diversas perguntas. Quando eu repeti que não poderia garantir a compra de todas as encomendas, ele surtou, me chamou de mesquinha e egoísta (entre outras coisa que não tenho coragem de repetir), pegou o dinheiro que ele tinha me dado para comprar as coisas dele e quase me deixou no meio do caminho e, claro, não foi me buscar no retorno (era parte do combinado).
    A família toda ficou do lado dele, minha mãe ficou insistindo por toda a minha viagem para eu trazer as coisas para ele, uma prima me deu ordens expressas para eu trazer as coisas dele. Eu não trouxe e dois meses depois ainda sou vista como alguém que não se importa com os outros.
    Pra minha sorte eu já havia aprendido que não conquisto o amor e respeito das pessoas com presentes e por isso não trouxe nada do que ele me pediu e desde aquele dia ainda não nos encontramos ou nos falamos.

  20. Nossa que horror! Minha família é 100% o oposto disso! Tirariam deles para me dar! São eles que me dão presentes, que querem pagar as contas e meus pais insistem até pra que eu fique no quarto deles, que é o melhor…tenho 37 anos e eles ainda me tratam como a menininha querida deles…rebelde pq foi morar longe, teria todas as condições para voltar mas segue longe…Não me amam nem um pouco menos por isso!

  21. Nossa que horror! Minha família é 100% o oposto disso! Tirariam deles para me dar! São eles que me dão presentes, que querem pagar as contas e meus pais insistem até pra que eu fique no quarto deles, que é o melhor…tenho 37 anos e eles ainda me tratam como a menininha querida deles…rebelde pq foi morar longe, teria todas as condições para voltar mas segue longe…Não me amam nem um pouco menos por isso!

  22. Nossa que horror! Minha família é 100% o oposto disso! Tirariam deles para me dar! São eles que me dão presentes, que querem pagar as contas e meus pais insistem até pra que eu fique no quarto deles, que é o melhor…tenho 37 anos e eles ainda me tratam como a menininha querida deles…rebelde pq foi morar longe, teria todas as condições para voltar mas segue longe…Não me amam nem um pouco menos por isso!

  23. Poxa gente… Muita solidariedade a quem passa por isso. Só queria ressaltar que este comportamento não é reservado a famílias brasileiras deixadas por trás por quem foi morar no exterior. Minha família é italiana, mora até hoje na Itália. Todos bem viajados e ninguém com falta de grana. Graças a Deus. Porém, como o autor / autora falou, esses traços são típicos de famílias que perderam seu equibrio, não faz diferença de e em qual país elas sejam. Morei fora do país dos meus pais por 20 anos. Voltei por esse ai: solidão e culpa perante a família toda. Mas além da solidão, eu no exterior (no caso, “exterior” p mim foi o Brasil!) estava muito mas muito bem obrigada!!. Faz agora 3 anos que voltei, e, quer saber? Realmente as vezes nosso lugar é mesmo longe dos irmãos e irmãs e pais de “sangue”. Eu achava que iria conseguir morar perto deles, agora que sou mais madura e que tenho mais compreensão das coisas e das dinâmicas familiares. Mas pra fazer isso teria que acabar com a minha pessoa, pois são acusações tão doloridas e absurdas … E com o respeito para comigo.

    O que dói é que a gente se sente responsável pelos pais… Queria ajudá-los na velhice deles… Mas vi que a maior ajuda que posso dar é manter uma distância saudável onde eles possam saber (ou achar) q comigo está tudo bem; me amar e mandar carinho de longe . Talvez eu possa parar de me cobrar e achar que isso “é pouco”.

  24. Poxa gente… Muita solidariedade a quem passa por isso. Só queria ressaltar que este comportamento não é reservado a famílias brasileiras deixadas por trás por quem foi morar no exterior. Minha família é italiana, mora até hoje na Itália. Todos bem viajados e ninguém com falta de grana. Graças a Deus. Porém, como o autor / autora falou, esses traços são típicos de famílias que perderam seu equibrio, não faz diferença de e em qual país elas sejam. Morei fora do país dos meus pais por 20 anos. Voltei por esse ai: solidão e culpa perante a família toda. Mas além da solidão, eu no exterior (no caso, “exterior” p mim foi o Brasil!) estava muito mas muito bem obrigada!!. Faz agora 3 anos que voltei, e, quer saber? Realmente as vezes nosso lugar é mesmo longe dos irmãos e irmãs e pais de “sangue”. Eu achava que iria conseguir morar perto deles, agora que sou mais madura e que tenho mais compreensão das coisas e das dinâmicas familiares. Mas pra fazer isso teria que acabar com a minha pessoa, pois são acusações tão doloridas e absurdas … E com o respeito para comigo.

    O que dói é que a gente se sente responsável pelos pais… Queria ajudá-los na velhice deles… Mas vi que a maior ajuda que posso dar é manter uma distância saudável onde eles possam saber (ou achar) q comigo está tudo bem; me amar e mandar carinho de longe . Talvez eu possa parar de me cobrar e achar que isso “é pouco”.

  25. Poxa gente… Muita solidariedade a quem passa por isso. Só queria ressaltar que este comportamento não é reservado a famílias brasileiras deixadas por trás por quem foi morar no exterior. Minha família é italiana, mora até hoje na Itália. Todos bem viajados e ninguém com falta de grana. Graças a Deus. Porém, como o autor / autora falou, esses traços são típicos de famílias que perderam seu equibrio, não faz diferença de e em qual país elas sejam. Morei fora do país dos meus pais por 20 anos. Voltei por esse ai: solidão e culpa perante a família toda. Mas além da solidão, eu no exterior (no caso, “exterior” p mim foi o Brasil!) estava muito mas muito bem obrigada!!. Faz agora 3 anos que voltei, e, quer saber? Realmente as vezes nosso lugar é mesmo longe dos irmãos e irmãs e pais de “sangue”. Eu achava que iria conseguir morar perto deles, agora que sou mais madura e que tenho mais compreensão das coisas e das dinâmicas familiares. Mas pra fazer isso teria que acabar com a minha pessoa, pois são acusações tão doloridas e absurdas … E com o respeito para comigo.

    O que dói é que a gente se sente responsável pelos pais… Queria ajudá-los na velhice deles… Mas vi que a maior ajuda que posso dar é manter uma distância saudável onde eles possam saber (ou achar) q comigo está tudo bem; me amar e mandar carinho de longe . Talvez eu possa parar de me cobrar e achar que isso “é pouco”.

  26. A primeira vez que fui de ferias para o Brasil: cada vez que eu ligava, minha mae falava de alguma coisa pra levar pra alguem. No final eu fui e levei o que eu queria pra minha mae e nada pras pessoas que me pediram presente. A casa da minha mae encheu, la tinha gente que eu nao via a quase 10 anos, eu parecia a selebridade, mas a maioria ficou decepcionado pois eu nao tinha presente pra ninguem. Agora eu tenho contato com poucas pessoas da familia, quando minha mae comeca a reclamar eu conto como e minha vida aqui, que eu trabalho todos os dias, que eu ganho em euro mas gasto em euro tambem.
    Como o tempo vai passando a cobranca, mas ela continua pedindo presentes pra conhecidos, amigos, mas isso entra em um ouvido e sai pelo outro.

  27. A primeira vez que fui de ferias para o Brasil: cada vez que eu ligava, minha mae falava de alguma coisa pra levar pra alguem. No final eu fui e levei o que eu queria pra minha mae e nada pras pessoas que me pediram presente. A casa da minha mae encheu, la tinha gente que eu nao via a quase 10 anos, eu parecia a selebridade, mas a maioria ficou decepcionado pois eu nao tinha presente pra ninguem. Agora eu tenho contato com poucas pessoas da familia, quando minha mae comeca a reclamar eu conto como e minha vida aqui, que eu trabalho todos os dias, que eu ganho em euro mas gasto em euro tambem.
    Como o tempo vai passando a cobranca, mas ela continua pedindo presentes pra conhecidos, amigos, mas isso entra em um ouvido e sai pelo outro.

  28. A primeira vez que fui de ferias para o Brasil: cada vez que eu ligava, minha mae falava de alguma coisa pra levar pra alguem. No final eu fui e levei o que eu queria pra minha mae e nada pras pessoas que me pediram presente. A casa da minha mae encheu, la tinha gente que eu nao via a quase 10 anos, eu parecia a selebridade, mas a maioria ficou decepcionado pois eu nao tinha presente pra ninguem. Agora eu tenho contato com poucas pessoas da familia, quando minha mae comeca a reclamar eu conto como e minha vida aqui, que eu trabalho todos os dias, que eu ganho em euro mas gasto em euro tambem.
    Como o tempo vai passando a cobranca, mas ela continua pedindo presentes pra conhecidos, amigos, mas isso entra em um ouvido e sai pelo outro.

  29. Eu me identifiquei muito com as palavras da Angela. Minha mae , sempre quando precisa usar o dinheiro que esta em minha conta no Brasil, nunca falo nada, e acho ate bom poder ajudar. Mas quando eu estava passando por um momento dificil e precisava ir ao Brasil e queria pegar um pouco do dinheiro da minha conta, dinheiro que eu ganhei , trabalhando duro, ela me disse… SE VOCE TIRAR ALGUM DINHEIRO DA SUA CONTA EU VOU SER A PESSOA MAIS INFELIZ DO MUNDO… Gente , voces nao sabem o quanto isso doi, quando comecamos a refletir , a que ponto deixamos a situacao chegar. Nos sentimos culpados. quando nao podemos realizer o sonho de quem ficou, pricipalmente quando eh sua mae. Comecamos a nos sentir fracassados, tristes, e isso tem uma influencia muito negativa no nosso dia a dia. Eu penso que ela poderia se sentir feliz em saber que estou nos EUA , trabalhando , que posso pagar meu lugar de morar, que posso viver sem precisar que ela me ajude, estou bem… e ainda mando dinheiro todos os meses para despesa dela… queria que ela fosse feliz simplesmente por isso…. mas nao eh o que acontece. Tenho certeza de que se eu voltasse hoje para o Brasil, sem dinheiro algum, eu seria rejeitada… Enfin, poderia desabafar aqui a noite toda, mas nao eh o caso.kkk
    Pensei que estava sozinha , mas vejo que muitas pessoas passam por isso….

  30. Eu me identifiquei muito com as palavras da Angela. Minha mae , sempre quando precisa usar o dinheiro que esta em minha conta no Brasil, nunca falo nada, e acho ate bom poder ajudar. Mas quando eu estava passando por um momento dificil e precisava ir ao Brasil e queria pegar um pouco do dinheiro da minha conta, dinheiro que eu ganhei , trabalhando duro, ela me disse… SE VOCE TIRAR ALGUM DINHEIRO DA SUA CONTA EU VOU SER A PESSOA MAIS INFELIZ DO MUNDO… Gente , voces nao sabem o quanto isso doi, quando comecamos a refletir , a que ponto deixamos a situacao chegar. Nos sentimos culpados. quando nao podemos realizer o sonho de quem ficou, pricipalmente quando eh sua mae. Comecamos a nos sentir fracassados, tristes, e isso tem uma influencia muito negativa no nosso dia a dia. Eu penso que ela poderia se sentir feliz em saber que estou nos EUA , trabalhando , que posso pagar meu lugar de morar, que posso viver sem precisar que ela me ajude, estou bem… e ainda mando dinheiro todos os meses para despesa dela… queria que ela fosse feliz simplesmente por isso…. mas nao eh o que acontece. Tenho certeza de que se eu voltasse hoje para o Brasil, sem dinheiro algum, eu seria rejeitada… Enfin, poderia desabafar aqui a noite toda, mas nao eh o caso.kkk
    Pensei que estava sozinha , mas vejo que muitas pessoas passam por isso….

  31. Eu me identifiquei muito com as palavras da Angela. Minha mae , sempre quando precisa usar o dinheiro que esta em minha conta no Brasil, nunca falo nada, e acho ate bom poder ajudar. Mas quando eu estava passando por um momento dificil e precisava ir ao Brasil e queria pegar um pouco do dinheiro da minha conta, dinheiro que eu ganhei , trabalhando duro, ela me disse… SE VOCE TIRAR ALGUM DINHEIRO DA SUA CONTA EU VOU SER A PESSOA MAIS INFELIZ DO MUNDO… Gente , voces nao sabem o quanto isso doi, quando comecamos a refletir , a que ponto deixamos a situacao chegar. Nos sentimos culpados. quando nao podemos realizer o sonho de quem ficou, pricipalmente quando eh sua mae. Comecamos a nos sentir fracassados, tristes, e isso tem uma influencia muito negativa no nosso dia a dia. Eu penso que ela poderia se sentir feliz em saber que estou nos EUA , trabalhando , que posso pagar meu lugar de morar, que posso viver sem precisar que ela me ajude, estou bem… e ainda mando dinheiro todos os meses para despesa dela… queria que ela fosse feliz simplesmente por isso…. mas nao eh o que acontece. Tenho certeza de que se eu voltasse hoje para o Brasil, sem dinheiro algum, eu seria rejeitada… Enfin, poderia desabafar aqui a noite toda, mas nao eh o caso.kkk
    Pensei que estava sozinha , mas vejo que muitas pessoas passam por isso….

  32. Sorte de quem nao passa por isso… eh excessao. Eu tb vivo esse problema e por mais que nossa familia nao fale sempre em dinheiro , sentimos que o dinheiro eh mais importante do que nos. Eu tenho uma conta no Brasil, que esta em nome da minha mae ..quando ela precise de dinheiro urgente , eu sempre autorizo ela retirar, quando eu precisei usar meu dinheiro , para ir ao Brasil, ela me disse que se eu tirasse algum dinheiro dessa conta ela ia se sentir a pessoa mais infeliz do mundo… sendo que o dinheiro eh meu e ganhei trabalhando muito , mais muito mesmo. Sem contar que tenho que mandar dinheiro todo mes e faco isso ha 6 anos … mas , nao temos valor, o dinheiro tem valor… Eu sei que se eu voltasse hoje ao Brasil, sem um tostao no bolso , eu seria muito humilhada , e rejeitada… Isso tudo doi muito, mas fazer o que.. o ser humano eh assim mesmo.

  33. Sorte de quem nao passa por isso… eh excessao. Eu tb vivo esse problema e por mais que nossa familia nao fale sempre em dinheiro , sentimos que o dinheiro eh mais importante do que nos. Eu tenho uma conta no Brasil, que esta em nome da minha mae ..quando ela precise de dinheiro urgente , eu sempre autorizo ela retirar, quando eu precisei usar meu dinheiro , para ir ao Brasil, ela me disse que se eu tirasse algum dinheiro dessa conta ela ia se sentir a pessoa mais infeliz do mundo… sendo que o dinheiro eh meu e ganhei trabalhando muito , mais muito mesmo. Sem contar que tenho que mandar dinheiro todo mes e faco isso ha 6 anos … mas , nao temos valor, o dinheiro tem valor… Eu sei que se eu voltasse hoje ao Brasil, sem um tostao no bolso , eu seria muito humilhada , e rejeitada… Isso tudo doi muito, mas fazer o que.. o ser humano eh assim mesmo.

  34. Sorte de quem nao passa por isso… eh excessao. Eu tb vivo esse problema e por mais que nossa familia nao fale sempre em dinheiro , sentimos que o dinheiro eh mais importante do que nos. Eu tenho uma conta no Brasil, que esta em nome da minha mae ..quando ela precise de dinheiro urgente , eu sempre autorizo ela retirar, quando eu precisei usar meu dinheiro , para ir ao Brasil, ela me disse que se eu tirasse algum dinheiro dessa conta ela ia se sentir a pessoa mais infeliz do mundo… sendo que o dinheiro eh meu e ganhei trabalhando muito , mais muito mesmo. Sem contar que tenho que mandar dinheiro todo mes e faco isso ha 6 anos … mas , nao temos valor, o dinheiro tem valor… Eu sei que se eu voltasse hoje ao Brasil, sem um tostao no bolso , eu seria muito humilhada , e rejeitada… Isso tudo doi muito, mas fazer o que.. o ser humano eh assim mesmo.

  35. Sou neto de Espanhóis por parte de Pai e Alemão por parte Mãe, a unica coisa que sinto saudades, são dos meus Avôs e Bisavôs que me ajudaram a formar o meu caráter, sinto-me deslocado aqui no Brasil por causa do jeitinho preguiçoso do brasileiro, meu avô Espanhol Anarquista sempre me dizia, estude pois o conhecimento e algo quem o ninguém pode tirar de você e que com ele abrira muitas portas, hoje vivo bem com minha esposa e curto meia duzia de parentes, mas o forte mesmo e amizades de anos afins que culto-o.

  36. Sou neto de Espanhóis por parte de Pai e Alemão por parte Mãe, a unica coisa que sinto saudades, são dos meus Avôs e Bisavôs que me ajudaram a formar o meu caráter, sinto-me deslocado aqui no Brasil por causa do jeitinho preguiçoso do brasileiro, meu avô Espanhol Anarquista sempre me dizia, estude pois o conhecimento e algo quem o ninguém pode tirar de você e que com ele abrira muitas portas, hoje vivo bem com minha esposa e curto meia duzia de parentes, mas o forte mesmo e amizades de anos afins que culto-o.

  37. Sou neto de Espanhóis por parte de Pai e Alemão por parte Mãe, a unica coisa que sinto saudades, são dos meus Avôs e Bisavôs que me ajudaram a formar o meu caráter, sinto-me deslocado aqui no Brasil por causa do jeitinho preguiçoso do brasileiro, meu avô Espanhol Anarquista sempre me dizia, estude pois o conhecimento e algo quem o ninguém pode tirar de você e que com ele abrira muitas portas, hoje vivo bem com minha esposa e curto meia duzia de parentes, mas o forte mesmo e amizades de anos afins que culto-o.

  38. Sei bem o que é isso!
    Quando chego na casa da minha mãe, tenho que pagar até pelo copo d’Água que bebo. Não cortei os laços com a minha mãe, porque afinal é minha mãe, mas evito ao máximo ir até a casa dela, porque me entristece tanta cobrança. Os parentes que sempre me evitaram porque me achavam metida, me acham mais metida ainda, e agora diz que eu que não ligo mais pra eles, porque sou rica.
    Aprendi a lidar e viver com isso, apenas ignoro.

  39. Sei bem o que é isso!
    Quando chego na casa da minha mãe, tenho que pagar até pelo copo d’Água que bebo. Não cortei os laços com a minha mãe, porque afinal é minha mãe, mas evito ao máximo ir até a casa dela, porque me entristece tanta cobrança. Os parentes que sempre me evitaram porque me achavam metida, me acham mais metida ainda, e agora diz que eu que não ligo mais pra eles, porque sou rica.
    Aprendi a lidar e viver com isso, apenas ignoro.

  40. Sei bem o que é isso!
    Quando chego na casa da minha mãe, tenho que pagar até pelo copo d’Água que bebo. Não cortei os laços com a minha mãe, porque afinal é minha mãe, mas evito ao máximo ir até a casa dela, porque me entristece tanta cobrança. Os parentes que sempre me evitaram porque me achavam metida, me acham mais metida ainda, e agora diz que eu que não ligo mais pra eles, porque sou rica.
    Aprendi a lidar e viver com isso, apenas ignoro.

  41. Muito bom o texto, é bem isso.
    Eu vivi uma situação parecida que teve um desfecho inusitado. A minha irmã mais nova vivia com a minha mãe, que usava os seu telefone para se comunicar comigo, de repente, ninguém mais atendia o telefone, deixavam em silencio e eu passei meses sem conseguir falar com minha mãe, que nem sabia usar um celular. Com o tempo, enviei um telefone celular para a minha mãe, comprei chip por internet, ajudei como pude para que ela conseguisse se comunicar comigo e ficamos bem, pois a minha mãe é maravilhosa e vivia tiranizada pela minha irmã.
    Com o tempo, a minha mãe ganhou autonomia e até conseguiu uma casa própria, foi sorteada no “Minha Casa, Minha Vida” e se mudou! Foi morar sozinha, pela primeira vez na vida, mas livre, com a aposentadoria dela e o telefone, sem depender mais da minha irmã para nada. Foi um desfecho bonito, pois rompeu uma prisão. Valeu a pena lutar!!! Feliz 2016!

  42. Muito bom o texto, é bem isso.
    Eu vivi uma situação parecida que teve um desfecho inusitado. A minha irmã mais nova vivia com a minha mãe, que usava os seu telefone para se comunicar comigo, de repente, ninguém mais atendia o telefone, deixavam em silencio e eu passei meses sem conseguir falar com minha mãe, que nem sabia usar um celular. Com o tempo, enviei um telefone celular para a minha mãe, comprei chip por internet, ajudei como pude para que ela conseguisse se comunicar comigo e ficamos bem, pois a minha mãe é maravilhosa e vivia tiranizada pela minha irmã.
    Com o tempo, a minha mãe ganhou autonomia e até conseguiu uma casa própria, foi sorteada no “Minha Casa, Minha Vida” e se mudou! Foi morar sozinha, pela primeira vez na vida, mas livre, com a aposentadoria dela e o telefone, sem depender mais da minha irmã para nada. Foi um desfecho bonito, pois rompeu uma prisão. Valeu a pena lutar!!! Feliz 2016!

  43. Muito bom o texto, é bem isso.
    Eu vivi uma situação parecida que teve um desfecho inusitado. A minha irmã mais nova vivia com a minha mãe, que usava os seu telefone para se comunicar comigo, de repente, ninguém mais atendia o telefone, deixavam em silencio e eu passei meses sem conseguir falar com minha mãe, que nem sabia usar um celular. Com o tempo, enviei um telefone celular para a minha mãe, comprei chip por internet, ajudei como pude para que ela conseguisse se comunicar comigo e ficamos bem, pois a minha mãe é maravilhosa e vivia tiranizada pela minha irmã.
    Com o tempo, a minha mãe ganhou autonomia e até conseguiu uma casa própria, foi sorteada no “Minha Casa, Minha Vida” e se mudou! Foi morar sozinha, pela primeira vez na vida, mas livre, com a aposentadoria dela e o telefone, sem depender mais da minha irmã para nada. Foi um desfecho bonito, pois rompeu uma prisão. Valeu a pena lutar!!! Feliz 2016!

  44. No meu caso a tirania que recebemos foi por uma tia y tio e um primo, eu,meus pais e meus irmãos somos os que estamos na Europa. Ichi!! Tenho um primo que roubou uma torre de antena de uns 6 metros da nossa casa do Brasil que ficou para ser alugada. Tenho uma tia que pegou mais de 3.000 reais do dinheiro do aluguel dessa casa e fez um botox na cara. Tenho um tio que escondido alugou uma sala comercial onde minha mãe tinha antigamente um salão de beleza e deixou que colocassem uma borracharia ( imaginem as condições que deixaram essa sala)… Hoje em dia meus pais recebem o aluguel diretamente do inquilino. Sem que nenhum familiar faça de intermediario. Temos uma qualidade de vida melhor da que a gente tinha no Brasil, más pelo o que eu vejo pelas fotos do facebook , essa qualidade de vida é bem menor da que eles tem no Brasil. Esse primo que roubou antena, tem seu propio caminhão, tem casa com piscina e ainda assim nos roubou a torre de antena da nossa casa.

  45. No meu caso a tirania que recebemos foi por uma tia y tio e um primo, eu,meus pais e meus irmãos somos os que estamos na Europa. Ichi!! Tenho um primo que roubou uma torre de antena de uns 6 metros da nossa casa do Brasil que ficou para ser alugada. Tenho uma tia que pegou mais de 3.000 reais do dinheiro do aluguel dessa casa e fez um botox na cara. Tenho um tio que escondido alugou uma sala comercial onde minha mãe tinha antigamente um salão de beleza e deixou que colocassem uma borracharia ( imaginem as condições que deixaram essa sala)… Hoje em dia meus pais recebem o aluguel diretamente do inquilino. Sem que nenhum familiar faça de intermediario. Temos uma qualidade de vida melhor da que a gente tinha no Brasil, más pelo o que eu vejo pelas fotos do facebook , essa qualidade de vida é bem menor da que eles tem no Brasil. Esse primo que roubou antena, tem seu propio caminhão, tem casa com piscina e ainda assim nos roubou a torre de antena da nossa casa.

  46. No meu caso a tirania que recebemos foi por uma tia y tio e um primo, eu,meus pais e meus irmãos somos os que estamos na Europa. Ichi!! Tenho um primo que roubou uma torre de antena de uns 6 metros da nossa casa do Brasil que ficou para ser alugada. Tenho uma tia que pegou mais de 3.000 reais do dinheiro do aluguel dessa casa e fez um botox na cara. Tenho um tio que escondido alugou uma sala comercial onde minha mãe tinha antigamente um salão de beleza e deixou que colocassem uma borracharia ( imaginem as condições que deixaram essa sala)… Hoje em dia meus pais recebem o aluguel diretamente do inquilino. Sem que nenhum familiar faça de intermediario. Temos uma qualidade de vida melhor da que a gente tinha no Brasil, más pelo o que eu vejo pelas fotos do facebook , essa qualidade de vida é bem menor da que eles tem no Brasil. Esse primo que roubou antena, tem seu propio caminhão, tem casa com piscina e ainda assim nos roubou a torre de antena da nossa casa.

  47. Não é só a família não, quando vc mora no exterior,tens muitos amigos, pensando que tens vida de rei, agora quando vás ao Brasil e veem que não estas banhada em euros ou dólares…. Ai sim os amigos fogem…Estou no Brasil há 4 anos e amigos….Quase nenhum, agora quando volte ao exterior meu face vai estar cheio de mensagens. Bem, espero que não!

  48. Não é só a família não, quando vc mora no exterior,tens muitos amigos, pensando que tens vida de rei, agora quando vás ao Brasil e veem que não estas banhada em euros ou dólares…. Ai sim os amigos fogem…Estou no Brasil há 4 anos e amigos….Quase nenhum, agora quando volte ao exterior meu face vai estar cheio de mensagens. Bem, espero que não!

  49. Não é só a família não, quando vc mora no exterior,tens muitos amigos, pensando que tens vida de rei, agora quando vás ao Brasil e veem que não estas banhada em euros ou dólares…. Ai sim os amigos fogem…Estou no Brasil há 4 anos e amigos….Quase nenhum, agora quando volte ao exterior meu face vai estar cheio de mensagens. Bem, espero que não!

  50. To indignada com essa materiA, pq a maioria das pessoas que se matam de trabalhar na Europa e tem uma vida normal nos padrões daqui tem uma família no Brasil que ostenta na praia, freqüenta japonês caro e paga pelo menos 120 reais pra ir num camarote
    To muito Feliz por minha familia ficar muito Feliz e adorar os chocolates da marca do migros, pantufas do aldi, cremes da dm e cacareco do ikea que levo. E levo simplismente pq adoro dar presentes! Apesar de nao poder comprar coisas caras, adoro levar minhas bugigangas.

  51. To indignada com essa materiA, pq a maioria das pessoas que se matam de trabalhar na Europa e tem uma vida normal nos padrões daqui tem uma família no Brasil que ostenta na praia, freqüenta japonês caro e paga pelo menos 120 reais pra ir num camarote
    To muito Feliz por minha familia ficar muito Feliz e adorar os chocolates da marca do migros, pantufas do aldi, cremes da dm e cacareco do ikea que levo. E levo simplismente pq adoro dar presentes! Apesar de nao poder comprar coisas caras, adoro levar minhas bugigangas.

  52. To indignada com essa materiA, pq a maioria das pessoas que se matam de trabalhar na Europa e tem uma vida normal nos padrões daqui tem uma família no Brasil que ostenta na praia, freqüenta japonês caro e paga pelo menos 120 reais pra ir num camarote
    To muito Feliz por minha familia ficar muito Feliz e adorar os chocolates da marca do migros, pantufas do aldi, cremes da dm e cacareco do ikea que levo. E levo simplismente pq adoro dar presentes! Apesar de nao poder comprar coisas caras, adoro levar minhas bugigangas.

  53. Eu moro na nova zelandia faz 10 anos e quando posso vou ao Brasil minha mãe e meu pai me trata como se eu fosse uma rainha meus irmão que também tá fora também são tratados muito bem ganho muitos presentes e minha mãe e meus parentes sempre dá presentinhos pro meus filhos nunca precisei compra nada dentro da casa dos meus país.claro que se eu pudesse estaria com eles mas o Brasil não é mais pra mim e pro meus filhos.amei a matéria e fiquei surpresa com o relatos de muitos.boa sorte a todos❤️

  54. Eu moro na nova zelandia faz 10 anos e quando posso vou ao Brasil minha mãe e meu pai me trata como se eu fosse uma rainha meus irmão que também tá fora também são tratados muito bem ganho muitos presentes e minha mãe e meus parentes sempre dá presentinhos pro meus filhos nunca precisei compra nada dentro da casa dos meus país.claro que se eu pudesse estaria com eles mas o Brasil não é mais pra mim e pro meus filhos.amei a matéria e fiquei surpresa com o relatos de muitos.boa sorte a todos❤️

  55. Eu moro na nova zelandia faz 10 anos e quando posso vou ao Brasil minha mãe e meu pai me trata como se eu fosse uma rainha meus irmão que também tá fora também são tratados muito bem ganho muitos presentes e minha mãe e meus parentes sempre dá presentinhos pro meus filhos nunca precisei compra nada dentro da casa dos meus país.claro que se eu pudesse estaria com eles mas o Brasil não é mais pra mim e pro meus filhos.amei a matéria e fiquei surpresa com o relatos de muitos.boa sorte a todos❤️

  56. Tenho irmãos no exterior e eles me presentearam com computador quanto fiz 15 anos e outro me deu quando fiz 24, trocaria os dois pra tê-los aqui comigo… Muitos vão pro exterior pra melhorar a vida e aqui no Brasil muitas pessoas realmente passam por necessidades, há casos e casos… Nem todas famílias são assim, sofrem por sentirem falta de seus familiares, que cada ano que passa ficam mais distantes… Mães que o que mais queriam era um abraço de seus filhos no natal, que por causa de dinheiro e busca de uma vida melhor deixou tudo pra traz… Tudo, porque família independente dos seus defeitos é tudo na vida de um ser hunano. Se a família só pensa em dinheiro não julgue pois se largou eles aqui e foi morar lá é pelo mesmo motivo! E tem muitas pessoas que ficam lá e nem se lembram de fazer nada pelos familiares que passam dificuldades aqui, mesmo com condições… Depois vem com uma mão na frente e outra atrás morar em casa de parentes…

  57. Tenho irmãos no exterior e eles me presentearam com computador quanto fiz 15 anos e outro me deu quando fiz 24, trocaria os dois pra tê-los aqui comigo… Muitos vão pro exterior pra melhorar a vida e aqui no Brasil muitas pessoas realmente passam por necessidades, há casos e casos… Nem todas famílias são assim, sofrem por sentirem falta de seus familiares, que cada ano que passa ficam mais distantes… Mães que o que mais queriam era um abraço de seus filhos no natal, que por causa de dinheiro e busca de uma vida melhor deixou tudo pra traz… Tudo, porque família independente dos seus defeitos é tudo na vida de um ser hunano. Se a família só pensa em dinheiro não julgue pois se largou eles aqui e foi morar lá é pelo mesmo motivo! E tem muitas pessoas que ficam lá e nem se lembram de fazer nada pelos familiares que passam dificuldades aqui, mesmo com condições… Depois vem com uma mão na frente e outra atrás morar em casa de parentes…

  58. Tenho irmãos no exterior e eles me presentearam com computador quanto fiz 15 anos e outro me deu quando fiz 24, trocaria os dois pra tê-los aqui comigo… Muitos vão pro exterior pra melhorar a vida e aqui no Brasil muitas pessoas realmente passam por necessidades, há casos e casos… Nem todas famílias são assim, sofrem por sentirem falta de seus familiares, que cada ano que passa ficam mais distantes… Mães que o que mais queriam era um abraço de seus filhos no natal, que por causa de dinheiro e busca de uma vida melhor deixou tudo pra traz… Tudo, porque família independente dos seus defeitos é tudo na vida de um ser hunano. Se a família só pensa em dinheiro não julgue pois se largou eles aqui e foi morar lá é pelo mesmo motivo! E tem muitas pessoas que ficam lá e nem se lembram de fazer nada pelos familiares que passam dificuldades aqui, mesmo com condições… Depois vem com uma mão na frente e outra atrás morar em casa de parentes…

  59. Gostei Dessa material. Eu vivo em USA. Passei por muitas situacoes tristes com a minha familia e continuo passando. Eu simplesmente me afastei e melhor assim. Cansei! Essa materia Mostra a triste realidade de muitos brasileiros que trabalham duro e Sao explorados pela familia.

  60. Gostei Dessa material. Eu vivo em USA. Passei por muitas situacoes tristes com a minha familia e continuo passando. Eu simplesmente me afastei e melhor assim. Cansei! Essa materia Mostra a triste realidade de muitos brasileiros que trabalham duro e Sao explorados pela familia.

  61. Gostei Dessa material. Eu vivo em USA. Passei por muitas situacoes tristes com a minha familia e continuo passando. Eu simplesmente me afastei e melhor assim. Cansei! Essa materia Mostra a triste realidade de muitos brasileiros que trabalham duro e Sao explorados pela familia.

  62. Bom texto passei e passo o mesmo com sacrificio consegui comprar uma casinha e a familia inteira me forçaram a vender a casa pois diziam que minha mae estava precisando de dinheiro e a casa tava abandonada poderiam invadir e que se eu queria que minha mae morresse pois estava necessitada, durante os 20 anos que morei fora e ainda moro nunca me mandaram um carta mas na hora de fazer a papelada da venda da casa foi rapidinho, até hoje nao vi nenhum dinheiro dessa venda e nem sei exatamente em que gastaram só sei que toda a vez que vou a brasil de ferias tenho que levar varios presentes pra todos e dinheiro vivo ate meu primo me perguntou desta vez que nao levei quase nada (pois estou aprendendo ) me perguntou se eu nao havia comprado umas cuecas importadas pra ele… Quase morri! Fiquei pasma ! Mas to aprendendo pois quando eu venho embora nao me dao nem um alfinete de lembrança ou agradecimento nao que eu queira mas so um gesto nao me faria me sentir se tao idiota como me sinto! Amazing grace!

  63. Bom texto passei e passo o mesmo com sacrificio consegui comprar uma casinha e a familia inteira me forçaram a vender a casa pois diziam que minha mae estava precisando de dinheiro e a casa tava abandonada poderiam invadir e que se eu queria que minha mae morresse pois estava necessitada, durante os 20 anos que morei fora e ainda moro nunca me mandaram um carta mas na hora de fazer a papelada da venda da casa foi rapidinho, até hoje nao vi nenhum dinheiro dessa venda e nem sei exatamente em que gastaram só sei que toda a vez que vou a brasil de ferias tenho que levar varios presentes pra todos e dinheiro vivo ate meu primo me perguntou desta vez que nao levei quase nada (pois estou aprendendo ) me perguntou se eu nao havia comprado umas cuecas importadas pra ele… Quase morri! Fiquei pasma ! Mas to aprendendo pois quando eu venho embora nao me dao nem um alfinete de lembrança ou agradecimento nao que eu queira mas so um gesto nao me faria me sentir se tao idiota como me sinto! Amazing grace!

  64. Bom texto passei e passo o mesmo com sacrificio consegui comprar uma casinha e a familia inteira me forçaram a vender a casa pois diziam que minha mae estava precisando de dinheiro e a casa tava abandonada poderiam invadir e que se eu queria que minha mae morresse pois estava necessitada, durante os 20 anos que morei fora e ainda moro nunca me mandaram um carta mas na hora de fazer a papelada da venda da casa foi rapidinho, até hoje nao vi nenhum dinheiro dessa venda e nem sei exatamente em que gastaram só sei que toda a vez que vou a brasil de ferias tenho que levar varios presentes pra todos e dinheiro vivo ate meu primo me perguntou desta vez que nao levei quase nada (pois estou aprendendo ) me perguntou se eu nao havia comprado umas cuecas importadas pra ele… Quase morri! Fiquei pasma ! Mas to aprendendo pois quando eu venho embora nao me dao nem um alfinete de lembrança ou agradecimento nao que eu queira mas so um gesto nao me faria me sentir se tao idiota como me sinto! Amazing grace!

  65. excelente o texto e real….. fiquei 20 anos fora, e quando voltei tive a felicidade e sorte de ser recebido por primos que nem eram tao proximos mas que, pelo abraço apertado, eu senti, sentiram a minha falta… mas antes disto, no decorrer de tantos anos, todas desilusoes, aprendizado, solidao e medo até, muitos se afastaram, ressentiram, me cortaram, apenas porque “os abandonei para viver uma boa vida” …. Tive amigo de fé me apunhalando pelas costas… mas sobrevivi e hoje sou maior e mais forte. Por isto, posso dizer… os que pensam em seguir o caminho para fora de uma casa, familia, na mesma cidade que seja, mantenham em mente de que, no final de sua vida e dias, o que vai importar será apenas a vida que voce terá vivido… opinioes, cara feia, insultos, nada disto ira fazer qualquer diferença… por isto, seja feliz, onde quer que esteja, faça o que puder para quem quer que seja, mas sem remorsos, tristezas ou culpa pelo aquilo que “queriam” mas que nao tinha condiçoes de ser feito. Hoje, depois de tantos anos descobri minha verdadeira familia… (salvo alguns membros que sim me receberam com abraços apertados) amigos, pessoas simples mas sinceras, que, senti a emoçao viva e clara quando depois de tantos anos me derao seu verdadeiro e forte abraço. Sorte para todos.

  66. excelente o texto e real….. fiquei 20 anos fora, e quando voltei tive a felicidade e sorte de ser recebido por primos que nem eram tao proximos mas que, pelo abraço apertado, eu senti, sentiram a minha falta… mas antes disto, no decorrer de tantos anos, todas desilusoes, aprendizado, solidao e medo até, muitos se afastaram, ressentiram, me cortaram, apenas porque “os abandonei para viver uma boa vida” …. Tive amigo de fé me apunhalando pelas costas… mas sobrevivi e hoje sou maior e mais forte. Por isto, posso dizer… os que pensam em seguir o caminho para fora de uma casa, familia, na mesma cidade que seja, mantenham em mente de que, no final de sua vida e dias, o que vai importar será apenas a vida que voce terá vivido… opinioes, cara feia, insultos, nada disto ira fazer qualquer diferença… por isto, seja feliz, onde quer que esteja, faça o que puder para quem quer que seja, mas sem remorsos, tristezas ou culpa pelo aquilo que “queriam” mas que nao tinha condiçoes de ser feito. Hoje, depois de tantos anos descobri minha verdadeira familia… (salvo alguns membros que sim me receberam com abraços apertados) amigos, pessoas simples mas sinceras, que, senti a emoçao viva e clara quando depois de tantos anos me derao seu verdadeiro e forte abraço. Sorte para todos.

  67. excelente o texto e real….. fiquei 20 anos fora, e quando voltei tive a felicidade e sorte de ser recebido por primos que nem eram tao proximos mas que, pelo abraço apertado, eu senti, sentiram a minha falta… mas antes disto, no decorrer de tantos anos, todas desilusoes, aprendizado, solidao e medo até, muitos se afastaram, ressentiram, me cortaram, apenas porque “os abandonei para viver uma boa vida” …. Tive amigo de fé me apunhalando pelas costas… mas sobrevivi e hoje sou maior e mais forte. Por isto, posso dizer… os que pensam em seguir o caminho para fora de uma casa, familia, na mesma cidade que seja, mantenham em mente de que, no final de sua vida e dias, o que vai importar será apenas a vida que voce terá vivido… opinioes, cara feia, insultos, nada disto ira fazer qualquer diferença… por isto, seja feliz, onde quer que esteja, faça o que puder para quem quer que seja, mas sem remorsos, tristezas ou culpa pelo aquilo que “queriam” mas que nao tinha condiçoes de ser feito. Hoje, depois de tantos anos descobri minha verdadeira familia… (salvo alguns membros que sim me receberam com abraços apertados) amigos, pessoas simples mas sinceras, que, senti a emoçao viva e clara quando depois de tantos anos me derao seu verdadeiro e forte abraço. Sorte para todos.

  68. indignacao eh oq senti lendo isso, mas msm no Brasil mta gte passa por isso com suas familias, nem precisams e mudar de país… gracas a deus nao eh meu caso, mas essa prisao emocional eh tipica de familia latina ou cultura “Quente”. ninguem me cobra financeiramente, mas emocionalmente. eu tenho q me fazer presente e interessada tanto qto eu ainda vivia no Brasil… “qdo eu morrer, vc vai dar Valor… qdo vc passar por isso, vai me entender” etc. eh mto doloroso msm no inicio, mas qdo vc percebe essa prisao em q vivia e decide romper com isso, eh libertador 🙂 vc acaba ate se conhecendo como realmente eh, tendo a impressao q estava sendo uma outra Pessoa o tempo td

  69. indignacao eh oq senti lendo isso, mas msm no Brasil mta gte passa por isso com suas familias, nem precisams e mudar de país… gracas a deus nao eh meu caso, mas essa prisao emocional eh tipica de familia latina ou cultura “Quente”. ninguem me cobra financeiramente, mas emocionalmente. eu tenho q me fazer presente e interessada tanto qto eu ainda vivia no Brasil… “qdo eu morrer, vc vai dar Valor… qdo vc passar por isso, vai me entender” etc. eh mto doloroso msm no inicio, mas qdo vc percebe essa prisao em q vivia e decide romper com isso, eh libertador 🙂 vc acaba ate se conhecendo como realmente eh, tendo a impressao q estava sendo uma outra Pessoa o tempo td

  70. indignacao eh oq senti lendo isso, mas msm no Brasil mta gte passa por isso com suas familias, nem precisams e mudar de país… gracas a deus nao eh meu caso, mas essa prisao emocional eh tipica de familia latina ou cultura “Quente”. ninguem me cobra financeiramente, mas emocionalmente. eu tenho q me fazer presente e interessada tanto qto eu ainda vivia no Brasil… “qdo eu morrer, vc vai dar Valor… qdo vc passar por isso, vai me entender” etc. eh mto doloroso msm no inicio, mas qdo vc percebe essa prisao em q vivia e decide romper com isso, eh libertador 🙂 vc acaba ate se conhecendo como realmente eh, tendo a impressao q estava sendo uma outra Pessoa o tempo td

  71. Eu acho que o migrante precisa de um apoio psicológico, se possível enquanto estiver no exterior ( sei que é caro, mas é necessário), pois na maioria das vezes parte dele mesmo, o desejo de encher os parentes de presentes devido ao dinheiro que ganha. Meu irmão morou nos EUA por 6 anos, vinha ao Brasil 2 vezes ao ano e sempre cheio de presentes. Nunca pedimos nada e até falávamos para guardar o dinheiro para eventuais necessidades. Veio embora sem nada, mas como ele mesmo disse “em paz”. Estou falando isso pq se a pessoa sai do seu país para trabalhar fora, é pq a situação não está boa e se ele conseguir mostrar aos parentes que foi para juntar dinheiro e que não gasta nem com ele mesmo, fica fácil ser compreendido. Essa é minha opinião!

  72. Eu acho que o migrante precisa de um apoio psicológico, se possível enquanto estiver no exterior ( sei que é caro, mas é necessário), pois na maioria das vezes parte dele mesmo, o desejo de encher os parentes de presentes devido ao dinheiro que ganha. Meu irmão morou nos EUA por 6 anos, vinha ao Brasil 2 vezes ao ano e sempre cheio de presentes. Nunca pedimos nada e até falávamos para guardar o dinheiro para eventuais necessidades. Veio embora sem nada, mas como ele mesmo disse “em paz”. Estou falando isso pq se a pessoa sai do seu país para trabalhar fora, é pq a situação não está boa e se ele conseguir mostrar aos parentes que foi para juntar dinheiro e que não gasta nem com ele mesmo, fica fácil ser compreendido. Essa é minha opinião!

  73. Eu acho que o migrante precisa de um apoio psicológico, se possível enquanto estiver no exterior ( sei que é caro, mas é necessário), pois na maioria das vezes parte dele mesmo, o desejo de encher os parentes de presentes devido ao dinheiro que ganha. Meu irmão morou nos EUA por 6 anos, vinha ao Brasil 2 vezes ao ano e sempre cheio de presentes. Nunca pedimos nada e até falávamos para guardar o dinheiro para eventuais necessidades. Veio embora sem nada, mas como ele mesmo disse “em paz”. Estou falando isso pq se a pessoa sai do seu país para trabalhar fora, é pq a situação não está boa e se ele conseguir mostrar aos parentes que foi para juntar dinheiro e que não gasta nem com ele mesmo, fica fácil ser compreendido. Essa é minha opinião!

  74. Infelizmente isso acontece muito.
    As pessoas pensam que assim que você coloca o pé fora do país já está rico.
    Eu moro há 3 meses (sim amigos, apenas 3 meses) em Milão, por sorte encontrei um emprego rápido. Mas só foi saber que eu estava empregada (e olha que trabalho em casa de família) que todos já me pediram dinheiro.
    Já enviei para o Brasil quase tudo que eu ganhei. Cerca de 1.400€ já se foram sem eu nem saber pra que. Tenho medo de ficar desempregada e sem nada.

    • Cuidado, Bianca. Pense primeiro em você, mesmo porque os desejos e supostas necessidades de muita gente é um buraco sem fundo. Você pode mandar o quanto tiver e quiser e nunca bastará… Ajudar alguém que está passando aperto, tudo bem, mas há quem peça por achar natural que você, por morar no exterior e ser “rica” tem a obrigação de financiar a vida deles. E vale o ditado: não se descobre um santo para cobrir outro. Pense em você e guarde um pouco de seu dinheiro para qualquer imprevisto.

  75. Infelizmente isso acontece muito.
    As pessoas pensam que assim que você coloca o pé fora do país já está rico.
    Eu moro há 3 meses (sim amigos, apenas 3 meses) em Milão, por sorte encontrei um emprego rápido. Mas só foi saber que eu estava empregada (e olha que trabalho em casa de família) que todos já me pediram dinheiro.
    Já enviei para o Brasil quase tudo que eu ganhei. Cerca de 1.400€ já se foram sem eu nem saber pra que. Tenho medo de ficar desempregada e sem nada.

    • Cuidado, Bianca. Pense primeiro em você, mesmo porque os desejos e supostas necessidades de muita gente é um buraco sem fundo. Você pode mandar o quanto tiver e quiser e nunca bastará… Ajudar alguém que está passando aperto, tudo bem, mas há quem peça por achar natural que você, por morar no exterior e ser “rica” tem a obrigação de financiar a vida deles. E vale o ditado: não se descobre um santo para cobrir outro. Pense em você e guarde um pouco de seu dinheiro para qualquer imprevisto.

  76. Infelizmente isso acontece muito.
    As pessoas pensam que assim que você coloca o pé fora do país já está rico.
    Eu moro há 3 meses (sim amigos, apenas 3 meses) em Milão, por sorte encontrei um emprego rápido. Mas só foi saber que eu estava empregada (e olha que trabalho em casa de família) que todos já me pediram dinheiro.
    Já enviei para o Brasil quase tudo que eu ganhei. Cerca de 1.400€ já se foram sem eu nem saber pra que. Tenho medo de ficar desempregada e sem nada.

    • Cuidado, Bianca. Pense primeiro em você, mesmo porque os desejos e supostas necessidades de muita gente é um buraco sem fundo. Você pode mandar o quanto tiver e quiser e nunca bastará… Ajudar alguém que está passando aperto, tudo bem, mas há quem peça por achar natural que você, por morar no exterior e ser “rica” tem a obrigação de financiar a vida deles. E vale o ditado: não se descobre um santo para cobrir outro. Pense em você e guarde um pouco de seu dinheiro para qualquer imprevisto.

  77. Ninguem nunca me pede nada, porque ja sabe que nao vou levar mesmo…fora isso sempre reclamo de falta de dinheiro e se duvidar ainda peço emprestado. Claro que a distancia vai ficando cada vez maior…mas compensa com os excelentes amigos que fiz por aqui e que agora sao a minha familia. Bom, acho que familia nao é sangue, mas sao aqueles que vc se sente bem…

  78. Ninguem nunca me pede nada, porque ja sabe que nao vou levar mesmo…fora isso sempre reclamo de falta de dinheiro e se duvidar ainda peço emprestado. Claro que a distancia vai ficando cada vez maior…mas compensa com os excelentes amigos que fiz por aqui e que agora sao a minha familia. Bom, acho que familia nao é sangue, mas sao aqueles que vc se sente bem…

  79. Ninguem nunca me pede nada, porque ja sabe que nao vou levar mesmo…fora isso sempre reclamo de falta de dinheiro e se duvidar ainda peço emprestado. Claro que a distancia vai ficando cada vez maior…mas compensa com os excelentes amigos que fiz por aqui e que agora sao a minha familia. Bom, acho que familia nao é sangue, mas sao aqueles que vc se sente bem…

  80. Isso é realmente uma realidade! Por outro lado, já vi alguns brasileiros que vivem no exterior “ostentando” como se fossem ricos! Isso acaba reforçando essa imagem de que todo brasileiro fica rico no exterior.

  81. Isso é realmente uma realidade! Por outro lado, já vi alguns brasileiros que vivem no exterior “ostentando” como se fossem ricos! Isso acaba reforçando essa imagem de que todo brasileiro fica rico no exterior.

  82. Isso é realmente uma realidade! Por outro lado, já vi alguns brasileiros que vivem no exterior “ostentando” como se fossem ricos! Isso acaba reforçando essa imagem de que todo brasileiro fica rico no exterior.

  83. Pessoal boa tarde!!!

    Fiquei chocado com o texto e comentários. Queria ressaltar que isso também ocorre dentro do próprio país. Resido distante da minha família desde os treze anos, tive que enfrentar a sorte, de morar num lugar árido,porém de muita gente simples e alegre. Nestas andanças da vida e também nos retorno compreendi o quanto o papel da família na consolidação da minha identidade era necessário. Porém chega um tempo que as cobranças e exigências também tinham o peso como se estivesse em outro país. Fora isso a solidão assistida, aquela cuja as pessoas estão em sua volta, mais não conseguem tocar a sua alma, estão por interesses enes. E, quando sair da Bahia e fui migrando até chegar aqui em São Paulo, vejo que até aqueles que eu considerava “amigos”,se mostraram indiferentes, e quando sabiam por outrem de alguma conquista minha, viravam a cara. Sabe, chega um tempo que devemos diminuir as satisfações pra os outros e compreender que a vida vai tendo outros sentidos. E quem nos ama, de verdade compreende as distâncias. E não são presentes que compram sentimentos,mais vale a presença.

    A todos(as), desejo de coração que vocês possam elaborar tudo isso como uma maneira de aprofundar outras questões para a vida, e não sejam dependentes dos sentimentos alheios. Amor Próprio já é o bastante!!!

    Grande Abraço!!!

  84. Pessoal boa tarde!!!

    Fiquei chocado com o texto e comentários. Queria ressaltar que isso também ocorre dentro do próprio país. Resido distante da minha família desde os treze anos, tive que enfrentar a sorte, de morar num lugar árido,porém de muita gente simples e alegre. Nestas andanças da vida e também nos retorno compreendi o quanto o papel da família na consolidação da minha identidade era necessário. Porém chega um tempo que as cobranças e exigências também tinham o peso como se estivesse em outro país. Fora isso a solidão assistida, aquela cuja as pessoas estão em sua volta, mais não conseguem tocar a sua alma, estão por interesses enes. E, quando sair da Bahia e fui migrando até chegar aqui em São Paulo, vejo que até aqueles que eu considerava “amigos”,se mostraram indiferentes, e quando sabiam por outrem de alguma conquista minha, viravam a cara. Sabe, chega um tempo que devemos diminuir as satisfações pra os outros e compreender que a vida vai tendo outros sentidos. E quem nos ama, de verdade compreende as distâncias. E não são presentes que compram sentimentos,mais vale a presença.

    A todos(as), desejo de coração que vocês possam elaborar tudo isso como uma maneira de aprofundar outras questões para a vida, e não sejam dependentes dos sentimentos alheios. Amor Próprio já é o bastante!!!

    Grande Abraço!!!

  85. Pessoal boa tarde!!!

    Fiquei chocado com o texto e comentários. Queria ressaltar que isso também ocorre dentro do próprio país. Resido distante da minha família desde os treze anos, tive que enfrentar a sorte, de morar num lugar árido,porém de muita gente simples e alegre. Nestas andanças da vida e também nos retorno compreendi o quanto o papel da família na consolidação da minha identidade era necessário. Porém chega um tempo que as cobranças e exigências também tinham o peso como se estivesse em outro país. Fora isso a solidão assistida, aquela cuja as pessoas estão em sua volta, mais não conseguem tocar a sua alma, estão por interesses enes. E, quando sair da Bahia e fui migrando até chegar aqui em São Paulo, vejo que até aqueles que eu considerava “amigos”,se mostraram indiferentes, e quando sabiam por outrem de alguma conquista minha, viravam a cara. Sabe, chega um tempo que devemos diminuir as satisfações pra os outros e compreender que a vida vai tendo outros sentidos. E quem nos ama, de verdade compreende as distâncias. E não são presentes que compram sentimentos,mais vale a presença.

    A todos(as), desejo de coração que vocês possam elaborar tudo isso como uma maneira de aprofundar outras questões para a vida, e não sejam dependentes dos sentimentos alheios. Amor Próprio já é o bastante!!!

    Grande Abraço!!!

  86. Meus parentes me odeiam: são invejosos e mesmo sendo “amigos” do FB me ignoram. No fundo eles têm raiva porque não podem viver no exterior por diversas razões. Quando tive um câncer e fiquei no Brasil alguns meses para ficar com meus pais, posso contar nos dedos quem foi me visitar. Não recebi nem emails ou telefonemas deles. Mas sobrevivi (para o desgosto deles). Voltei para a universidade fora do Brasil e nem para dar parabéns. Se dói? Dói, mas antes só do que mal acompanhado. Vou colocá0los numa lista especial só para que eles nçao possas ver minhas publicações. Quando ficarem muito tristes sugiro um comédia italiana chamada “Parente é serpente”. Outra coisa que gostaria de deixar claro, pois me incomoda ver isto sempre, esta mania de achar que a pessoa quer retornar ao Brasil. NÃO sou “Emigrante e nem migrante”. SOU IMIGRANTE. Por opção e decisão, e não pretendo voltar a viver no Brasil nunca mais, só se for obrigada. A minha pátria é o país que me acolheu. Ponto final. Não me sinto confortável no Brasil, tive uma educação extremamente europeia e só volto lá para visitar meus pais, pouquíssimos amigos (dois) e meu irmão que tem problemas de saúde.

  87. Eu não passo por esta parte financeira porque minha familia tenta me ajudar ao máximo, sabem que é dificil começar a vida do zero em um país novo, mas, sinto muita pressão psicologica por parte dos meus pais. Sou de minas mas ja morava em sp a um bom tempo, e nos víamos pouco, mas foi só vir pra portugal que minha mãe começou a se queixar de depressão, que estavam sentindo muita falta, me fazendo sentir meio desnaturada por ter abandonado eles :/ da forma que ela fala sempre me faz sentir mal, até uma certa culpa de ter deixado eles lá…. Me sinto péssima com isso :/

    • Triste isso, Priscila 🙁 Pelo menos você tem a sorte de reconhecer a chantagem emocional. Muita gente nem percebe isso e cede aos caprichos dos pais/da família, cedendo à pressão feita por eles.

      Seja forte e siga seu caminho. É normal sentir-se mal quando se trata dos pais (fomos “programados” para tal), mas não se deixe manipular. Tudo de bom para você 😉

  88. Meus parentes me odeiam: são invejosos e mesmo sendo “amigos” do FB me ignoram. No fundo eles têm raiva porque não podem viver no exterior por diversas razões. Quando tive um câncer e fiquei no Brasil alguns meses para ficar com meus pais, posso contar nos dedos quem foi me visitar. Não recebi nem emails ou telefonemas deles. Mas sobrevivi (para o desgosto deles). Voltei para a universidade fora do Brasil e nem para dar parabéns. Se dói? Dói, mas antes só do que mal acompanhado. Vou colocá0los numa lista especial só para que eles nçao possas ver minhas publicações. Quando ficarem muito tristes sugiro um comédia italiana chamada “Parente é serpente”. Outra coisa que gostaria de deixar claro, pois me incomoda ver isto sempre, esta mania de achar que a pessoa quer retornar ao Brasil. NÃO sou “Emigrante e nem migrante”. SOU IMIGRANTE. Por opção e decisão, e não pretendo voltar a viver no Brasil nunca mais, só se for obrigada. A minha pátria é o país que me acolheu. Ponto final. Não me sinto confortável no Brasil, tive uma educação extremamente europeia e só volto lá para visitar meus pais, pouquíssimos amigos (dois) e meu irmão que tem problemas de saúde.

  89. Eu não passo por esta parte financeira porque minha familia tenta me ajudar ao máximo, sabem que é dificil começar a vida do zero em um país novo, mas, sinto muita pressão psicologica por parte dos meus pais. Sou de minas mas ja morava em sp a um bom tempo, e nos víamos pouco, mas foi só vir pra portugal que minha mãe começou a se queixar de depressão, que estavam sentindo muita falta, me fazendo sentir meio desnaturada por ter abandonado eles :/ da forma que ela fala sempre me faz sentir mal, até uma certa culpa de ter deixado eles lá…. Me sinto péssima com isso :/

    • Triste isso, Priscila 🙁 Pelo menos você tem a sorte de reconhecer a chantagem emocional. Muita gente nem percebe isso e cede aos caprichos dos pais/da família, cedendo à pressão feita por eles.

      Seja forte e siga seu caminho. É normal sentir-se mal quando se trata dos pais (fomos “programados” para tal), mas não se deixe manipular. Tudo de bom para você 😉

  90. Meus parentes me odeiam: são invejosos e mesmo sendo “amigos” do FB me ignoram. No fundo eles têm raiva porque não podem viver no exterior por diversas razões. Quando tive um câncer e fiquei no Brasil alguns meses para ficar com meus pais, posso contar nos dedos quem foi me visitar. Não recebi nem emails ou telefonemas deles. Mas sobrevivi (para o desgosto deles). Voltei para a universidade fora do Brasil e nem para dar parabéns. Se dói? Dói, mas antes só do que mal acompanhado. Vou colocá0los numa lista especial só para que eles nçao possas ver minhas publicações. Quando ficarem muito tristes sugiro um comédia italiana chamada “Parente é serpente”. Outra coisa que gostaria de deixar claro, pois me incomoda ver isto sempre, esta mania de achar que a pessoa quer retornar ao Brasil. NÃO sou “Emigrante e nem migrante”. SOU IMIGRANTE. Por opção e decisão, e não pretendo voltar a viver no Brasil nunca mais, só se for obrigada. A minha pátria é o país que me acolheu. Ponto final. Não me sinto confortável no Brasil, tive uma educação extremamente europeia e só volto lá para visitar meus pais, pouquíssimos amigos (dois) e meu irmão que tem problemas de saúde.

  91. Eu não passo por esta parte financeira porque minha familia tenta me ajudar ao máximo, sabem que é dificil começar a vida do zero em um país novo, mas, sinto muita pressão psicologica por parte dos meus pais. Sou de minas mas ja morava em sp a um bom tempo, e nos víamos pouco, mas foi só vir pra portugal que minha mãe começou a se queixar de depressão, que estavam sentindo muita falta, me fazendo sentir meio desnaturada por ter abandonado eles :/ da forma que ela fala sempre me faz sentir mal, até uma certa culpa de ter deixado eles lá…. Me sinto péssima com isso :/

    • Triste isso, Priscila 🙁 Pelo menos você tem a sorte de reconhecer a chantagem emocional. Muita gente nem percebe isso e cede aos caprichos dos pais/da família, cedendo à pressão feita por eles.

      Seja forte e siga seu caminho. É normal sentir-se mal quando se trata dos pais (fomos “programados” para tal), mas não se deixe manipular. Tudo de bom para você 😉

  92. Boa noite a todos,quase chorei lendo essa matéria pois me vi nela,na minha familia tem algumas pessoas assim e o que mais me doeu esse final de 2015 foi uma irmã minha me chamando de cobra no Facebook,essa irmã ja tirou utero as minhas custas (mentirosa sempre inventando doenças) ja colocou umas 10 dentaduras,eu comprei pra ela na loja uma geladeira (pois a dela estava amarrada de borracha de pneu de bicicleta) um microondas,um forno industrial,um pc etc… Não tudo de uma vez tudo isso em 3 anos e fora muito dinheiro que pedia sempre e hoje eu so cobra.
    Doi muito,e doeu mais ainda descobrir que ela pedia dinheiro a meu ex marido escondido de mim e pedia pra ele não me contar e ele não contava,depois da separação passou na minha cara,é irmã uma peste dessa?

  93. Boa noite a todos,quase chorei lendo essa matéria pois me vi nela,na minha familia tem algumas pessoas assim e o que mais me doeu esse final de 2015 foi uma irmã minha me chamando de cobra no Facebook,essa irmã ja tirou utero as minhas custas (mentirosa sempre inventando doenças) ja colocou umas 10 dentaduras,eu comprei pra ela na loja uma geladeira (pois a dela estava amarrada de borracha de pneu de bicicleta) um microondas,um forno industrial,um pc etc… Não tudo de uma vez tudo isso em 3 anos e fora muito dinheiro que pedia sempre e hoje eu so cobra.
    Doi muito,e doeu mais ainda descobrir que ela pedia dinheiro a meu ex marido escondido de mim e pedia pra ele não me contar e ele não contava,depois da separação passou na minha cara,é irmã uma peste dessa?

      • Obrigada Gustl pelo seu comentario,eu sou a caçula de 10 filhos e cada vez que minha mãe ou meu pai adoece eu me sinto filha unica,não que eu não queira ajudar so que muitos da minha familia tem restaurantes,fazendas etc so que não moram no estrangeiro como eles mesmo dizem,um abraço.

  94. Boa noite a todos,quase chorei lendo essa matéria pois me vi nela,na minha familia tem algumas pessoas assim e o que mais me doeu esse final de 2015 foi uma irmã minha me chamando de cobra no Facebook,essa irmã ja tirou utero as minhas custas (mentirosa sempre inventando doenças) ja colocou umas 10 dentaduras,eu comprei pra ela na loja uma geladeira (pois a dela estava amarrada de borracha de pneu de bicicleta) um microondas,um forno industrial,um pc etc… Não tudo de uma vez tudo isso em 3 anos e fora muito dinheiro que pedia sempre e hoje eu so cobra.
    Doi muito,e doeu mais ainda descobrir que ela pedia dinheiro a meu ex marido escondido de mim e pedia pra ele não me contar e ele não contava,depois da separação passou na minha cara,é irmã uma peste dessa?

      • Obrigada Gustl pelo seu comentario,eu sou a caçula de 10 filhos e cada vez que minha mãe ou meu pai adoece eu me sinto filha unica,não que eu não queira ajudar so que muitos da minha familia tem restaurantes,fazendas etc so que não moram no estrangeiro como eles mesmo dizem,um abraço.

  95. Acho que nunca fiquei tão revoltado lendo alguma coisa.

    Gente, pelo amor de Deus, não deixa esses merdas montarem em vocês! Presente o caralho! Dinheiro porra nenhuma! Eles sobreviveram muito bem enquanto voces estavam aqui e VAO CONTINUAR SOBREVIVENDO MUITO BEM depois.

    E se esses idiotas de merda exploradores mercenarios que querem ser chamados de familia AINDA ASSIM insistirem, sejam mais estourados. NAO DEIXA PASSAR LIMPO ISSO !

    Nao moro nem fora mas fiz questao de cortar laços com mt parente pq era uma familia de MALANDROS! Doer dói e sempre vai mas antes um soco no saco que vai doer muito e passar do que essas facadas nas costas !

    Eu to muito revoltado com a situação de voces. Desculpem as palavras fortes.

    Sou do Rio, se quiserem ajuda da um oi que a gente separa um final de semana e desce a porrada nessa gente tudo pra eles aprenderem!

  96. Acho que nunca fiquei tão revoltado lendo alguma coisa.

    Gente, pelo amor de Deus, não deixa esses merdas montarem em vocês! Presente o caralho! Dinheiro porra nenhuma! Eles sobreviveram muito bem enquanto voces estavam aqui e VAO CONTINUAR SOBREVIVENDO MUITO BEM depois.

    E se esses idiotas de merda exploradores mercenarios que querem ser chamados de familia AINDA ASSIM insistirem, sejam mais estourados. NAO DEIXA PASSAR LIMPO ISSO !

    Nao moro nem fora mas fiz questao de cortar laços com mt parente pq era uma familia de MALANDROS! Doer dói e sempre vai mas antes um soco no saco que vai doer muito e passar do que essas facadas nas costas !

    Eu to muito revoltado com a situação de voces. Desculpem as palavras fortes.

    Sou do Rio, se quiserem ajuda da um oi que a gente separa um final de semana e desce a porrada nessa gente tudo pra eles aprenderem!

  97. Acho que nunca fiquei tão revoltado lendo alguma coisa.

    Gente, pelo amor de Deus, não deixa esses merdas montarem em vocês! Presente o caralho! Dinheiro porra nenhuma! Eles sobreviveram muito bem enquanto voces estavam aqui e VAO CONTINUAR SOBREVIVENDO MUITO BEM depois.

    E se esses idiotas de merda exploradores mercenarios que querem ser chamados de familia AINDA ASSIM insistirem, sejam mais estourados. NAO DEIXA PASSAR LIMPO ISSO !

    Nao moro nem fora mas fiz questao de cortar laços com mt parente pq era uma familia de MALANDROS! Doer dói e sempre vai mas antes um soco no saco que vai doer muito e passar do que essas facadas nas costas !

    Eu to muito revoltado com a situação de voces. Desculpem as palavras fortes.

    Sou do Rio, se quiserem ajuda da um oi que a gente separa um final de semana e desce a porrada nessa gente tudo pra eles aprenderem!

  98. Nossa, coisa de maluco isso tudo. Eu moro fora do Brasil, casei con un italiano, Por amor, nao Por interesse. Tive que fazer una escolha, deixar o Brasil, meu trabalho, minha familia,para morar Aqui. Devagar estou me adaptando, estou buscando conhecimento e formaçao para me inserir no mercado de trabalho daqui. Mas una coisa eu nunca fiz desde que cheguei Aqui: Enviar dinheiro, presentes e coisas do tipo. Eu levo se eu ver que alguem merece, Por isso ninguem me cobra nada. Ai de quem se atrever avdizer alguma coisa…eu continuo a mesma, nao ganhei ma loteria!!

  99. Nossa, coisa de maluco isso tudo. Eu moro fora do Brasil, casei con un italiano, Por amor, nao Por interesse. Tive que fazer una escolha, deixar o Brasil, meu trabalho, minha familia,para morar Aqui. Devagar estou me adaptando, estou buscando conhecimento e formaçao para me inserir no mercado de trabalho daqui. Mas una coisa eu nunca fiz desde que cheguei Aqui: Enviar dinheiro, presentes e coisas do tipo. Eu levo se eu ver que alguem merece, Por isso ninguem me cobra nada. Ai de quem se atrever avdizer alguma coisa…eu continuo a mesma, nao ganhei ma loteria!!

  100. Nossa, coisa de maluco isso tudo. Eu moro fora do Brasil, casei con un italiano, Por amor, nao Por interesse. Tive que fazer una escolha, deixar o Brasil, meu trabalho, minha familia,para morar Aqui. Devagar estou me adaptando, estou buscando conhecimento e formaçao para me inserir no mercado de trabalho daqui. Mas una coisa eu nunca fiz desde que cheguei Aqui: Enviar dinheiro, presentes e coisas do tipo. Eu levo se eu ver que alguem merece, Por isso ninguem me cobra nada. Ai de quem se atrever avdizer alguma coisa…eu continuo a mesma, nao ganhei ma loteria!!

  101. É, mas uma coisa muito simpática no brasilieiro é ele ou ela aceitar – sem problemas – q o gringo não tem essa cultura / hábito. A família da minha querida esposa brasileira nunca fez isso comigo. É diferente – dizem 😉

  102. É, mas uma coisa muito simpática no brasilieiro é ele ou ela aceitar – sem problemas – q o gringo não tem essa cultura / hábito. A família da minha querida esposa brasileira nunca fez isso comigo. É diferente – dizem 😉

  103. É, mas uma coisa muito simpática no brasilieiro é ele ou ela aceitar – sem problemas – q o gringo não tem essa cultura / hábito. A família da minha querida esposa brasileira nunca fez isso comigo. É diferente – dizem 😉

  104. Há muito tempo não lia algo tão bom e verdadeiro. Espero que seu texto ajude as pessoas que passam por isso, a se libertar da tirania familiar e entenderem que são vítimas e não culpadas. É triste e doloroso demais fazer parte de uma família assim. Mas entender o mecanismo da tirania pode ser libertador. Boa sorte a todos e parabéns pelo texto.

  105. Há muito tempo não lia algo tão bom e verdadeiro. Espero que seu texto ajude as pessoas que passam por isso, a se libertar da tirania familiar e entenderem que são vítimas e não culpadas. É triste e doloroso demais fazer parte de uma família assim. Mas entender o mecanismo da tirania pode ser libertador. Boa sorte a todos e parabéns pelo texto.

  106. Há muito tempo não lia algo tão bom e verdadeiro. Espero que seu texto ajude as pessoas que passam por isso, a se libertar da tirania familiar e entenderem que são vítimas e não culpadas. É triste e doloroso demais fazer parte de uma família assim. Mas entender o mecanismo da tirania pode ser libertador. Boa sorte a todos e parabéns pelo texto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Outros posts interessantes

10 Coisas que você pode estranhar ao chegar na Alemanha

Quando se chega em outro país, é comum se surpreender com algumas coisas diferentes e há coisas que brasileiros podem estranhar ao chegar na Alemanha.

Trabalho na Alemanha – 8 dicas para a busca de emprego

Uma visão geral das bolsas de emprego na Alemanha, informações para a mão de obra internacional especializada e dicas para os candidatos a emprego.

Portão de Brandemburgo

O Portão de Brandemburgo (em alemão: Brandenburger Tor), é uma dos principais cartões-postais de Berlim, que atrai turistas de todo o mundo.

Coisas que você não deveria fazer na Alemanha

Leia sobre algumas coisas que você não deveria fazer na Alemanha, evitando assim alguns problemas que podem ter consequências desagradáveis.

10 motivos para viver na Alemanha

Há muitos motivos para alguém considerar viver na Alemanha, que é muito mais que o país da cerveja e da salsicha.
- Publicidade -